Eduardo Morais realização/ produção & edição
Ágata Melquíades imagem
Fau Reis som
2011 - HD - 68min

Participações / Starring
Daniel Bacelar, Filipe Mendes (Chinchilas), Victor Gomes (Gatos Negros), João Alves da Costa (Jets), Victor Queiroz (Os Steamers), Diamantes Negros, Madalena Iglesias, Luís Futre (Bee Keeper/ Milkshake), Edgar Raposo (Groovie Records), Óscar Martins (Aqui D’el Rock), Francisco Dias (Blood & Iron/ Dawnrider), Eduardo e Nazaré Pinela (Emilio & a Tribo do Rum/ Capitão Fanstasma), Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta), Filipe Varejão (Cabeças de Gado), Carlos Moura (Cães Vadios), Pedro Chau (The Parkinsons / Blood Safari), Victor Torpedo (Tédio Boys / The Parkinsons), Rui Ferreira (Lux Records), Raquel Ralha (Wraygunn / Belle Chase Hotel), Suspiria Franklyn (Les Baton Rouge), Henrique Amaro (Antena 3), Fausto da Silva (R.U.C), Tó Trips (Lulu Blind / Dead Combo), Fast Eddie Nelson e Nick Nicotine.

Pela primeira vez em Portugal, está documentada a história da contracultura do rock'n'roll nacional desde o seu surgimento no fim da década de 50 até aos nossos dias. Na década de 60, inspirados por bandas como os Shadows, Bill Haley ou os Beatles, cerca de 3000 conjuntos de norte a sul de um país sob o alçada de Oliveira Salazar abalaram as editoras inconscientes deste som emergente. Um impulso de espírito ousado que percorreu o psicadelismo dos Jets, o punk dos Aqui D'el Rock, e se estabeleceu em pontos nevrálgicos como Braga, Coimbra ou Barreiro. Um pedaço da história de Portugal que tende a ser ocultado sobrevive através do selo independente da Ama Romanta, da Bee Keeper, da Lux ou da Groovie Records, e tem neste documentário de Eduardo Morais, a sua merecida celebração. Estreado em Outubro de 2011, este documentário percorreu, durante oito meses, cerca de 40 localidades por todo o país transportando a visão iconoclasta do realizador com uma lógica de exibições totalmente independente e autossustentada, à semelhança do próprio método de produção deste filme. Com uma pequena ajuda da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, Eduardo Morais esteve dois anos em pré-produção e rodagem por mera carolice e desejo de poder levar o seu trabalho a um público sempre interessado e atento.



For the first time in Portugal, the history of Portuguese rock’n’roll since the late 50s to modern days is captured on screen. In a land ruled by Salazar dictatorship in the 60s, and inspired by bands like The Shadows, Bill Haley and his Comets or The Beatles, 3000 bands shocked the labels that were unaware of this new sound. A bolt spirit got through the psychedelia of the Jets, the Punk-Rock of Aqui D’el Rock, and settles itself in neuralgic cities like Braga, Coimbra or Barreiro. A piece of Portugal’s history, which usually gets hidden, is maintained thru the independent labels like Ama Romanta, Bee Keeper, Lux or Groovie Records, and it’s truly celebrated in this documentary.
Debuted in October of 2011, this documentary travelled around 40 cities all over Portugal in its eight months of screenings, carrying the director’s iconoclastic point of view along with his totally independent and self sustained principles, and applying them to the film’s production. With a little help from his town’s city hall, Eduardo Morais was two years on pre-production and shooting just for pure pleasure of bringing his work to an interested and aware audience.